FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Biscoito da Sorte
Aceita um biscoito da sorte? É só clicar e descobrir a surpresa que tem dentro dele pra você!
X
Segundo a física quântica, ao elegermos uma antelação, criamos um universo, pois essa escolha afeta a vida de todos os seres, sem excetuar nenhum, e, concomitantemente, mata um número infinito de outros universos, que são as opções subtraídas da concepção. É a chamada “teoria do caos”, a qual explica que “o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez, provocar um tufão do outro lado do mundo”.

Tantas possibilidades acarretam em um tempo que se arrasta com um maior fardo: “e se eu tivesse feito diferente? Quem seriam os meus filhos que não nasceram? Quem seria eu? Como seria o mundo se eu houvesse me entregado a inclinações distintas?”. E a aflição é imensurável porque pesa a responsabilidade da escolha. Nesse ponto, a liberdade não é tão maravilhosa assim. Sente-se falta de que alguém nos mande executar algo. E para aliviar, papagaiamos frases prontas do tipo: “não foi porque não era para ser”, “Deus quis assim”, “o destino já está escrito”, “é melhor arrependermo-nos do que fizemos do que daquilo que não fizemos”, etc.Clicando aqui, você lê o texto completo
X
Eu não sou ignorante e nem tenho cérebro preguiçoso. Gosto de adquirir conhecimento em diversas áreas que são de meu interesse. Aprecio explorar o campo jurídico também, apesar da doutrina do direito não estar na lista das minhas disciplinas prediletas.

Imagine que eu chegue à minha casa cansado, depois de mais um dia de trabalho, depois de mais um leão morto, pois eu sou um assassino de leões. Mato um todos os dias.

Aí eu tomo o meu banho quentinho, como a minha jantinha, visto o meu pijama e preparo-me para uma merecida noite de sono. Mas, antes, eu vou relaxar um pouco porque eu não sou de ferro. Eu vou assistir a um filme. Então eu ligo o meu velho televisor de tubo de vinte polegadas.

O filme é envolvente. O enredo é intrigante. A estória é agradável. Os atores são sensacionais. Mas a imagem não está nada boa. Esta porcaria está com defeito. Eu vou ler um livro que eu ganho mais. Amanhã, eu levo esta geringonça ao conserto.
Trecho da crônica "Simplesmente, funcione!"
Clicando aqui, você lê o texto completo
X
Como vejo tudo pelo lado positivo, quando pago ao meu barbeiro, não me sinto gastando trinta e cinco reais. Lembro-me do excedente do consumidor e, com isso, sinto-me ganhando sessenta e cinco (espero que o meu barbeiro não leia essa crônica). Então “mato dois politicamente corretos com um único sarcasmo”: evito que o meu rostinho de bebê seja corrompido por uma gama de vulvas criadas por minhas mãos inábeis e, de modo concomitante, ganho sessenta e cinco reais! Urrú! É a típica alegria de bobo, mas… pelo menos, eu assumo.Clicando aqui, você lê o texto completo
X
Hoje, você é só um pensamento
Reconstrução, memória que ficou
Olhando pro céu, na grama, eu sento
Vejo seu rosto num retrovisor.

Um passado que um dia já foi presente
Ao seu lado, eu sentia o que se sente
Quando se tem bem diante de si
Todos os motivos pra estar ali.

Olhos verdes-capim
Eu preciso saber
Se você gosta de mim
Porque eu gosto de você.
Trecho da letra de música "Olhos verdes-capim"
Clicando aqui, você ouve a música e assiste ao clipe
X
Depois de horas de palestra, fomos postos em fila, que terminava numa espécie de biombo. Atrás do tapume, teríamos a revelação sobre quem seria essa pessoa. Quem estaria lá? Nossos progenitores? Nossa paixão de infância que riu da nossa cara quando revelamos o nosso amor? O grandalhão que não nos deixava sair à rua, quando crianças? O examinador que corrigiu a nossa prova, quando prestamos vestibular pela primeira vez? O colega de trabalho que ficou com o cargo que almejávamos, logo no início da nossa carreira?

Não, nenhum deles estava lá. Esses, que vieram à nossa imaginação, estavam muito longe dali e, muitos deles, provavelmente, sequer lembravam-se da nossa existência ou, quem sabe, nem estivessem mais nesse plano físico carnal, apesar de continuarem a figurar como vilões no sistema de defesa que criamos para conjecturar que o culpado são os outros. Sim, porque há uma tendência natural do ser humano de acreditar que o mérito dos sucessos é nosso e o dos insucessos é alheio.Clicando aqui, você lê o texto completo
X
Na cama eu sento, assim
Fresta e janela é um alento
A festa é bela, sim
Pelo menos nesse momento.

Mais do que zero
É o que eu espero de você
Sem lero-lero
Não vou ligar minha TV.

Quero saber:
Quem fechou esse registro
Sem água, sem você
Fica tudo tão sinistro.Clicando aqui, você lê a a letra de música completa