FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Biscoito da Sorte
Aceita um biscoito da sorte? É só clicar e descobrir a surpresa que tem dentro dele pra você!
X
Com a doce umidade do ar que respiro
Como fosse a cidade brotar desse lírio
Eis que surgem abelhas voando nas flores
Tal que fulgem vermelhas, trocando as cores.

Em segundo, o despontar da primeira folha
Vem pro mundo estourar da champanhe a rolha
Comemora, em terceiro, o crescer fina Flor
É Senhora em canteiro e crê ser sina a dor.
(Trecho de uma das Obras de Marcelo Garbine que lhe garantiram uma vaga no Nucleo de Letras y Artes de Buenos Aires - Argentina)
Clicando aqui, você assiste ao filme do evento
X
Um barbeiro é um especialista muito útil. É graças a ele que eu não caio na desgraça de ter que exibir uma coleção de vaginas artificiais na minha faceta, ao meter-me a desempenhar uma arte que não domino: a perícia de manusear uma lâmina de barbear. Porém basta que um barbeiro seja, somente, um barbeiro, sem cometer o excesso de ser um barbeiro barbeiro. Barbeiro barbeiro é um barbeiro que faz barbeiragem.

Trinta e cinco ou quarenta reais é uma bagatela. Eu pagaria até cem pra que fizessem a minha barba. Se houvesse profissionais dessa ordem no mercado, pagaria até pra escovarem os meus dentes.Clicando aqui, você assiste ao filme com animação gráfica
X
– Eu posso examinar você?

– Pode, né…

Deitei de bruços, na maca, conformado, achando que esse era o auge da humilhação que eu teria de passar naquele dia. Doce ilusão…

– Você se incomoda se eu chamar a minha colega para que ela me ajude a examinar você?

Ela tomou o meu silêncio como um sim…

A sensação de ser o protagonista de um circo de aberrações não acabou por aí. Ainda havia o encaminhamento para o proctologista… De novo, de bruços, na maca… que merda…
(Trecho da crônica para rádio "Cheguei ao cume do sucesso!")
Clicando aqui, você ouve a crônica
X
– Fez tatuagem nos últimos doze meses?

– Não.

– E essa tatuagem no seu peito, que dá pra ver pela gola V da sua camiseta?

– Fiz há 17 anos. Está bom para a senhora?

– Esteve resfriado nos últimos sete dias?

– Não.

– Mas eu ouvi você espirrando no corredor.

– É que eu tenho alergia a chatos. E não é nada com a senhora. É uma autoalergia.Clicando aqui, você assiste ao vídeo com animação digital
X
Meus aniversários, comemorei vários
Anos são riscados dos meus calendários
E o seu rosto cada vez mais distante
Me diz que mais nada será como antes.

Vejo o sol brilhando no verde da grama
E o verde das folhas minha atenção chama
Tem verde na mata e verde nos abrolhos
Só não vejo mais o verde dos seus olhos.

Sinto tanta sede. Que dor é esta?
Não vejo mais verde na minha floresta
Pra ver de verdade o que interessa
Só fazendo o tempo voltar bem depressa.

Verde-menta, verde-lima, verde-mar
Me alimenta, me ensina a não pensar
Não espera a primavera verdejar
Olhos verdes que um dia foi meu par.Clicando aqui, você lê a letra de música completa
X
No limiar, onde acabam ruas
Começa o mar das imagens suas
Depois dos postes e dos muros
Há dois dos bosques mais escuros.

O primeiro, repleto de vagas lembranças
Prisioneiro tão certo das intemperanças
Hábito cultivado, querer por querer
Hábil, estar prostrado, eu, junto a você.

O segundo, mais adiante
Mais profundo, agoniante
Você mais viva, efígie forte
Sua saliva, gosto de morte.
(Trecho da transcrição da fala do filme "Os Leões da Savana Olimpo")
Clicando aqui, você assiste ao filme