FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Baralho Literário
3
Encardido e com um nó cego no rabo, ele foi o meu companheirinho de todas as horas que me consolou nos instantes mais difíceis da adolescência, quando paixões foram perdidas. O Sylvinho tinha o ursinho Blau Blau de brinquedo dele e eu tenho o meu macaquinho Chico. Comida e água, posso achar pelo caminho, mas, outro macaquinho Chico, não reaverei jamais.Clicando aqui, você ouve a crônica
3
7
Disseram-nos, durante uma longa palestra, que, naquele dia, conheceríamos o verdadeiro responsável por todas as coisas que não ocorreram, na nossa vida, como gostaríamos. Os palestrantes instigaram a gente, fazendo-nos crer que poderíamos, enfim, saber o nome do culpado de tudo.
(Trecho da crônica para rádio "O teorema da responsabilidade")
Clicando aqui, você ouve
7
3
Na cama eu sento, assim
Fresta e janela é um alento
A festa é bela, sim
Pelo menos nesse momento.

Mais do que zero
É o que eu espero de você
Sem lero-lero
Não vou ligar minha TV.Clicando aqui, você lê a poesia completa
3
Clique sobre o baralho!